As mudanças climáticas são uma das principais preocupações da sociedade. O setor de alumínio – responsável por 1% das emissões de gases de efeito estufa do mundo e 5% do consumo da energia global na produção do alumínio primário – é considerado intensivo em carbono pelo uso de combustíveis fósseis e de energia elétrica na produção.

No entanto, novas tecnologias e o movimento de descarbonização dos países impulsionam a competição por uma economia sustentável e trazem muitos desafios e oportunidades para o nosso mercado. O alumínio ocupa hoje papel de destaque: nossos produtos leves, versáteis, duráveis e infinitamente recicláveis são facilitadores essenciais de um futuro de baixo carbono.

Gestão de emissões de gases de efeito estufa

A CBA é uma das produtoras de alumínio primário com menor emissão de GEE do mundo*. Ainda assim, trabalha para reduzir as emissões de GEE de suas operações com objetivo de combater as mudanças climáticas. Conheça, a seguir, nosso estágio de evolução.

Veja

Este programa tem atuação nos seguintes ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)

Intensidade de emissões no processo de eletrólise

toneladas de CO2 / toneladas de Alumínio líquido (2020)

*Segundo dados fornecidos pelo CRU, o alumínio líquido produzido na CBA está dentro do primeiro quartil das emissões de GEEs mais baixas do mundo para esse produto.

** Para cálculo do indicador, são consideradas as emissões de Escopo 1 e 2 da etapa de eletrólise.

Gestão energética

A produção de alumínio é altamente dependente de energia elétrica, principalmente na etapa de eletrólise que ocorre nas Salas Fornos. A CBA possui, no entanto, um relevante diferencial competitivo: 21 hidrelétricas próprias com capacidade de geração de 100% de energia elétrica de fonte renovável para abastecer as atividades da Fábrica de Alumínio. Ainda assim, entendemos que sempre há o que melhorar quando se trata de sustentabilidade.

 

Veja

Este projeto tem atuação nos seguintes ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)

A economia circular é uma das principais tendências globais e está se consolidando no modo de produção e consumo das pessoas. Ela permite o uso mais eficiente do capital natural e agrega valor ao ciclo de vida dos produtos.
O alumínio, por ser infinitamente reciclável, possibilita cadeias produtivas menos extrativistas e mais circulares, com maior reaproveitamento de matéria-prima e menor impacto ao meio ambiente.

Para reciclá-lo, é utilizada apenas 5% da energia necessária com relação à produção do alumínio desde a mineração, sem que perca as suas propriedades. Além de uma solução para a disposição de resíduos, a reciclagem é uma das principais formas de reduzir as emissões de GEE e o consumo de energia na cadeia de valor do alumínio.

Reciclagem do Alumínio

Segundo análises do International Aluminum Institute (IAI), o alumínio reciclado poderá atender metade do consumo total de alumínio até 2050. As estatísticas indicam um aumento de 80% de demanda pelo material no período, motivado pelas necessidades de uma economia de baixo carbono e pelo crescimento populacional e econômico. Atenta a essa transformação, a CBA assumiu compromissos ousados até 2030 e está investindo em projetos que ampliam consideravelmente sua capacidade de reciclagem nos próximos anos.

Veja

Este programa tem atuação nos seguintes ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)

Reciclagem de embalagens cartonadas e flexíveis

Atualmente, quando se trata de embalagens cartonadas, apenas a parte de papel retorna à origem do processo. O plástico e o alumínio são reprocessados juntos para dar origem a novos materiais, o que é um grande entrave para a circularidade dessa cadeia.

Outro tipo de embalagem multimaterial é a flexível, comumente descartada em aterros sanitários por conta da inviabilidade de reciclagem. Diante da dificuldade em realizar esse tipo de reciclagem, as principais empresas do setor têm buscado alternativas para substituir o alumínio em embalagens cartonadas e flexíveis. Atenta a essa necessidade do mercado, a CBA definiu um objetivo específico a ser alcançado até 2030, a fim de gerar valor na cadeia de coleta e reciclagem de embalagens multicamadas.

Veja

Este programa tem atuação nos seguintes ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)

Nossos Objetivos 2030

  • Reciclar 40 mil toneladas de embalagens cartonadas e flexíveis por ano.

O que estamos fazendo

Projeto ReAl

O processo físico-químico inovador desenvolvido pela CBA, batizado de ReAl, usa solução alcalina para isolar o plástico de qualquer uma dessas embalagens e reincorporar o alumínio ao processo. Diferentemente do alumínio, o plástico não reage em meio alcalino e, portanto, sai totalmente limpo ao final do processo, podendo ser 100% reciclado.

Além do benefício da reciclagem integral do alumínio e do plástico, outro relevante resultado do processo é a geração de hidrogênio, que resultará em energia limpa para abastecer a própria fábrica. Esse processo, de baixo custo operacional, traz um alto valor agregado para toda a cadeia de produção de embalagens e seus participantes. A tecnologia ReAl já está patenteada e a nova planta deverá entrar em operação em 2022, possibilitando o aumento da reciclagem, sempre em linha com as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Tudo isso é economia circular na prática!

A CBA está engajada em preservar os recursos naturais e a biodiversidade do planeta, contribuindo no combate às mudanças climáticas. A Companhia prioriza a reabilitação das áreas mineradas e a produção de alumínio de baixo carbono. Cuida da água, da energia e dos resíduos. E assim caminha para ser referência em sustentabilidade.

Gestão de recursos hidrícos

O aumento do consumo de água no mundo impacta as fontes existentes, tornando-as cada vez mais escassas e menos acessíveis. A ausência do consumo consciente combinado a períodos prolongandos de seca se tornam um agravante para a sociedade e o planeta diante das urgências climáticas. No processo produtivo do alumínio, o uso da água é fundamental e intensivo. É possível afirmar que não há alumínio sem água.

Veja

Este programa tem atuação nos seguintes ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)

Impactos financeiros no setor de mineração e metalurgia relacionados à segurança hídrica, por exemplo, chegaram a USD 11,8 bilhões entre 2013 e 2018 (CDP, 2018).

A CBA entende que deve fazer a gestão desse tema de forma a minimizar os impactos e reduzir a pressão sobre os recursos hídricos. Estamos empenhados na redução da dependência hídrica com redução de consumo e aumento do reuso da água em todas as etapas de nossa operação. Temos diretrizes claras para a gestão de águas e efluentes, além de seguir requisitos legais e práticas definidas nos melhores padrões mundiais.

Biodiversidade

A CBA também produz floresta e biodiversidade. Faz parte de sua gestão reduzir os impactos ambientais de suas operações, recuperar o solo, restaurar a vegetação e promover a conscientização ambiental dos trabalhadores e das comunidades onde a Empresa está presente.

Veja

Este programa tem atuação nos seguintes ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)

Ao promover a recomposição florestal, a fauna nativa volta a ocupar o local, com pássaros, animais terrestres e até mamíferos de grande porte, beneficiando a sociedade e o planeta.
Além disso, o desenvolvimento de uma indústria que valoriza o carbono estocado na vegetação e no solo pode gerar novos modelos de negócio e oportunidades de investimentos que ajudem a evitar o desmatamento e impulsionem o reflorestamento e restauração de terras.

A CBA possui seis barragens distribuídas pelos municípios de Alumínio (SP), Itamarati de Minas (MG), Miraí (MG) e Niquelândia (GO) – duas de armazenamento de água, duas de rejeitos de mineração e duas de resíduos industriais. Todas elas foram construídas sem o uso de rejeitos e com materiais apropriados. Todas as barragens são seguras e seguem os melhores padrões de gestão. Confira, a seguir, nossas ações em gestão de barragens.

Disposição de resíduos de Barragens

Todas as barragens são seguras, possuímos um Sistema de Gestão Integrado de Segurança de Barragem- SIGBAR que estabelece os melhores padrões de gestão. Através do Comitê de Barragens, conduzimos a gestão das barragens, contamos com o trabalho interno de profissionais dedicados exclusivamente à atividade, além do apoio de consultoria externa especializada no assunto.

Mantemos 100% de disponibilidade do sistema de alarme e videomonitoramento, cadastrando e treinando moradores e empregados das zonas de autossalvamento e realizando simulados de evacuação regularmente.

Veja

Este programa tem atuação nos seguintes ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)